loader image
Ilustração de um cérebro com bloqueio criativo no centro da imagem. Em cima, um ponto de interrogração.

3 táticas para vencer o bloqueio criativo na hora de produzir conteúdos

Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Share on pocket
Share on pinterest
Share on facebook
Share on twitter

“Mas sobre qual assunto eu poderia produzir conteúdo?”

Essa é uma das respostas que mais escuto quando pergunto a alguém por que não criar uma rotina consistente de produção de conteúdo.

Falar que a produção de conteúdo pode ser uma estratégia potente para alavancar os negócios de uma marca é chover no molhado. Então, resolvi pular essa parte. Não quero focar nisso.

A reflexão que quero trazer aqui é para ajudar a desobstruir possíveis “bloqueios” criativos que possam surgir na hora de ter ideias para produzir conteúdos.

Antes disso, no entanto, é preciso andar algumas casas para trás nesse tabuleiro. É muito importante checar se você tem a resposta na ponta da língua para uma premissa básica: saber quem é o seu público-alvo.

Ou seja, antes de efetivamente produzir algum conteúdo e se dar ao “luxo” de ter essas possíveis travas, você precisa ter certeza de que sabe quem é a pessoa que está do outro lado da tela.

E eu faço questão de mencionar a importância de ter clareza sobre sua audiência, porque isso vai ser fundamental no momento de colocar em prática as táticas que utilizo para dar um empurrão na criatividade.

Listar os principais concorrentes e destacar pontos fracos e fortes dos seus conteúdos

Saber quem é a sua concorrência é essencial para analisar o que é feito e de que maneira.

Não, não tem nenhum problema em analisar como seus concorrentes vem atuando para traçar sua estratégia. Pode ter certeza que boa parte das empresas faz isso, independente do setor que ela pertença e do porte que ela seja.

E digo mais. Entender como outras empresas organizam seus esforços de produção de conteúdo te dá uma visão holística sobre qual é o oceano azul dentro do mar de oportunidades que pode existir para sua marca.

Criar um processo para anotar ideias e referências

A segunda tática que preciso compartilhar é: de nada – absolutamente nada! – vai adiantar fazer uma análise sobre a atuação das marcas do seu setor se não existir um processo para documentar ideias.

Isso pode parecer besteira, mas não é. Em todos os projetos que trabalho, procuro estruturar um processo para registrar todos as ideias que eu tiver. É algo bastante útil e que costuma alavancar a quantidade de pautas consistentes que ganham vida.

Eu, particularmente, uso o Trello para determinar esse processo, mas o que não faltam são opções de ferramentas para criar um sistema inteligente de organização das ideias.

Notion, Asana, Airtable, Tick Tick e muitas outras. Até o Google (mais cachorro grande impossível) está botando na rua um projeto da sua incubadora, a Área 120. A gigante do Vale do Silício lançou o Google Tables e já realiza testes com usuários americanos.

Errar faz parte do processo de produção de conteúdo

O terceiro ponto que gosto de aplicar em minha rotina é o de usar pequenos ciclos para criar uma ideia, publicar, medir e tirar conclusões sobre esse processo.

Esses pequenos ciclos geram um processo de aprendizado absurdamente rápido e, com eles, você pode aumentar a curva de progresso do seu trabalho.

Por exemplo, imagine o seguinte cenário: o produtor de conteúdo “A” levou três meses para publicar um vídeo sobre “como vencer bloqueios criativos”, analisar as métricas de performance e tirar conclusões para os próximos projetos.

Já o produtor de conteúdo “B”, durante esse mesmo período de tempo, criou três vídeos diferentes sobre o mesmo assunto e passou por essas mesmas três etapas do ciclo em cada uma de suas publicações.

Ao comparar os dois casos, você concorda que o segundo profissional tem muita mais probabilidade de ter tirado maior proveito do processo de aprendizagem do que seu colega?

As plataformas digitais são muito dinâmicas e exigem muita capacidade dos seus usuários de se adaptar a esse contexto.

Permitir esses pequenos “erros” é algo que costuma acelerar significativamente sua curva de aprendizagem.

Pelo menos, isso funciona demais para mim.


🚀 Para ir além do post

Se você tem interesse em aprofundar mais sobre esse último ponto mencionado, tenho duas dicas que vão te trazer uma visão bem interessante sobre esse assunto.

📚 Startup Enxuta (Eric Ries)

Escrito pelo empreendedor americano Eric Ries, o livro Startup Enxuta (Lean Startup) apresenta uma estratégia de modelo de negócio que já é aplicada por diversas companhias do mundo. O conceito busca otimizar os recursos de um negócio da maneira mais eficiente possível.

🎙Podcast Podcrê

Outro conteúdo que traz reflexões interessantes é o Podcrê. Produzir pelos criadores dos perfis Tira do Papel e Bota na Rua, o podcast traz episódio quinzenais com conversas e reflexões essenciais para quem depende da capacidade criativa em sua rotina profissional.

💡 Como organizar o Trello

Se você não viu, essa é uma boa oportunidade para você conferir outro post que publiquei sobre como eu organizei meu quadro no Trello para implementar um projeto em uma multinacional espanhola.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

VAMOS CONVERSAR?

contato@guibarbosa.com.br

Copyright GUILHERME BARBOSA 2021 © Todos os direitos reservados.